Pesquisa
avançada
12791 joguetes

Como todos sabem, exceto talvez o Leandro Correia, há um ano o Marcelo Tini postou em seu site no msxhistory ou algo assim, que não costumo frequentar páginas de MSX para saber (especialmente páginas nacionais de MSX), uma entrevista com o Muffie, ex-ombaudsman do baú de jogos que foi expulso do site e fugiu com em torno de 3500 de nossos jogos. Como o Muffie é odiado na lista msxbr-l, Tini foi obrigado a apagar correndo a entrevista, sob pressão dos usuários que até hoje choram por causa das conversões de coleco e especialmente de um joguinho para celular em que aparecem a Giuma e o Petrolão

Por que será? Será que a maioria dos usuários que restaram na lista é petista doente ou é pesquisadorzinho de beira de estrada financiado pelo governo? me pergunta o Dr. Kurt. Acho que não, não pode ser, me recuso a acreditar.

Mas por via das dúvidas, publico aqui a entrevista.

O cartucho de MSX em questão é este: http://msx.ebsoft.fr/muffie_cartridge.php

Queiram notar pela linguagem floreada e frugivara das perguntas que elas não foram feitas pelo bau de jogos, é claro.

1. Olá Muffie, como vai ? Você é um personagem bastante controverso na “cena” MSX. Gostaria de bater um papo aberto e franco com você a respeito vários temas, alguns são controversos e polêmicos. Topa ?

[..MUFF-R-POSTA:]] A resposta a esta pergunta pode ser obtida através das respostas fornecidas para as perguntas contendo temas controversos e polêmicos… Como eu ainda não cheguei nelas, como saberia responder? Mas não me considero controverso. Gostaria de saber como chegou a essa conclusão e por que me acha controverso, até porque pouco participei da cena MSX.

Sobre o Muffie:

2. Como o Muffie surgiu ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Eu precisava de um nickname quando me registrei no forum da msx.org. Mas hoje estou banido e uso o forum apenas através de amigos.

Outra teoria é que Muffie é um Doppelgänger coletivo, Reductio ad absurdum em maior e/ou menor grau de diversos personagens que viveram suas infâncias e início de adolescência na cidade de Neo Acapulco City. O nome surgiu em um canal de IRC na década de 90, evoluindo de Macello Bellora, Il Mafiosi Di 'Ndrangheta.

3. Você é um bot ou existe de verdade ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Take Al-Qaeda's management philosophy as a starting point. It has been described as "centralization of decision and decentralization of execution. I exist, as long as you can accept Swarm Intelligence in a global scale. Sou um bot obviamente. Quando vão começar as perguntas sérias?

4. Você se considera controverso ?

[..MUFF-R-POSTA:]] O que você considera controverso? Qual a cotnrovérsia afinal? Sem entender a que controversia você se refere, não tenho como responder a esta pergunta.

Porque o Muffie, embora nunca fale dele em 3a pessoa, é um Freigeist e não tem a mínima (mas nem a mínima mesmo, zero) paciência para se relacionar de maneira convencional com os !Freigeist com todos os seus ridículos medos, preconceitos, manias, crenças e toda e qualquer elaboração em qualquer potência em cima destas ...tolices… Ou é consciente ou não merece nem a ironia de Muffie! :)

(Lembrete: Não esqueça de visitar o site http://www.maclove.com.br/ a casa brasileira dos amantes da apple.)

5. E aquele bonequinho do Snatcher nas conversões ? Explique isso.

[..MUFF-R-POSTA:]] Obviamente, porque “...and you can shake my hand and feel flesh gripping yours, and maybe you can even sense our lifestyles are probably comparable, I simply am not there.”

As conversões e as polêmicas

6. Explique o suspense de seis anos. Porquê diabos estas conversões demoraram tanto tempo para sair em cartucho, deu algum bug que demorou seis anos para resolver ?

[..MUFF-R-POSTA:]] As conversões demoraram um mês para sair em cartucho. É muito tempo? Além disso a cena de retro-computaria é formada em grande parte por nerds que sofreram a vida inteira com rejeições dos mais diversos tipos. Em sua maioria do tipo daqueles que casaram com as primeiras namoradas e, no início do relacionamento, até abriam a porta do carro para as mulheres (deixando elas em um pedestal), e terminaram como o arquetipo reconhecido socialmente como “corno-manso”. Com o tempo, os relacionamentos se desgastam, eles envelhecem e passam a fugir para outras coisas do passado: Doce Infância, Mamãe, Vovó e Toddynho de manhã. Como consequência tudo relacionado a esta época… Ou seja, o computador/vg que os acompanhava durante quase todo o tempo livre.

Desta forma tornam-se os demiurgos de um mundo particular e perfeito onde controlam tudo, não podem ser contrariados, qualquer demonstração de que essa mundinho particular é uma ilusão gera um chilique e uma ameaça de abandonar a cena para sempre. Esse mundo pode ser fazer programas, apenas usar emuladores, fazer projetos de hardware ou tão somente ficar escrevendo textos na internet ou em revistas virtuais que consistem normalmente apenas em descrever um eterno natal perfeito dos idos de 1983 ou 1985 ou seja lá o que for, quando mamãe ou papai deram o tão sonhado e mágico videogame especial, o amigo atari, o valoroso msx, etc. e cuja sensação nunca mais conseguiram recapturar. Ficaram presos eternamente nesse momento da infância e, em alguns casos, por mais estranho que isso possa parecer, a figura do atari, do coleco, do msx, do amiga se transforma na própria figura materna.

Para alguns deles, quando algum outro tem um chilique e ameaça parar de fazer qualquer coisa para, no caso, MSX, é como se estivessem tirando alguma destas coisas deles. Como se estivessem tornando a infância deles menos doce, como se estivessem perdendo a namorada para o cara pegador da década de 80 e, após a humilhação, fossem se refugair no porão da vovó com seus Apple ][ que não cometem traições, tomando um ovomaltine e jogando Karateka e as vezes cometendo a ousadia de tomar um porre de Keep Cooler aos 20 anos…

Enfim, como eu converti exclusivamente para provar um ponto, ou seja, de que não são necessários conhecimentos ou sentimentos nostalgicos mágicos e de que algo como essas conversões, assim como hacks e traduções de joguinhos velhos com mais de três décadas de existência, não deve ser considerado como arte ou algo especial, e mesmo sem ter nada contra nenhum destes indivíduos, um ou outro deu este chiliquinho, os produtores tradicionais de cartucho se recusaram a lançar as minhas conversões em cartucho como uma forma de, sei lá, punição por ameaçar o casamento deles indiretamente! Claro, mesmo sendo estas conversões mais bem feitas do que as que já existiam. Para alguns desses produtores, aliás, é necessário capitalizar em cima da nostalgia de alguns pobres, digamos assim, trouxas (perceba que este é o pensamento deles, não o meu), então eles fazem a tal caixinha especial, o manualzinho, tudo com o desenhinho que remete aos anos 80, àquele momento mágico da infância, aquele grande Natal em que o titio o levou para ver ET no cinema, e vendem não um produto, mas este sentimento. É a mesma coisa que acontece com revistas ou livros do tipo o “Melhor dos anos 80”, “anos 80 a década da saudade” e assim por diante. Como tratei minhas conversões com uma visão objetiva, removi delas esse valor. Mas para provar um ponto, este mesmo ponto, resolvi revestí-las desta patina dourada no ultimo mês, com o resultado esperado na “comunidade” de saudosistas: um monte de cartuchos fabricados rapidamente e vendidos e, provavelmente, nunca jogados, mas quando chegou a caixinha dourada (dourada metaforicamente) no correio bateu aquela sensação de abrir a playboy da Matilde Mastrangi. Que obviamente passou após alguns segundos. Acabou. E que se você, VOCÊ, for ver objetivamente, não vale nem como vintage. Quis apenas demonstrar como criar e dar valor para algo.

7. Houve alguma história controversa em 2008 que impediu o lançamento de suas conversões naquela época ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Um exemplo clássico e límpido do fenômeno citado acima. Sei que você irá citar o nick abaixo, mas eu prefiro chamá-lo de um pseudônimo, afinal, não queremos que ele capitalize em cima de publicidade grátis. Irei me referir ao mesmo como Eusébiozinho, que assim nasceu, no parto mais indolor que se possa imaginar…

Eusébiozinho criou meia dúzia de coisas com gosto duvidoso, em linguagens de criança e, mesmo tendo baseado grande parte das suas criações em copyrighted stuff, resolveu cobrar pelo trabalho! COBRAR! Tipo o Saverin querendo enfiar ads no facebook uma semana depois do lançamento… Para piorar, estava querendo cobrar por arquivos digitais… Carência quando acompanhada de competência até dá para suportar mas, arrogância com estupidez comercial não deu...

8. A Matra, muito conhecida na “cena” MSX, pela sua grande qualidade de produção de cartuchos e que publicou vários jogos, inclusive as conversões do Slotman, lembra-se dela ? Creio que você se lembra desta empresa, enfim, não publicou tuas conversões. Teve algum motivo em especial ? Eles alegaram algo ? Porque são tão sérios ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Sim, disseram que como já ofereciam os cartuchos do Slotman, não achavam certo vender outras versões, com o que concordo, obviamente. Lembrando que as conversões do Slotman tinham alguns problemas de solução ridículamente fácil, como achar RAM no lugar certo... Não compreeendo por que motivo, tendo cobrado por estes cartuchos, eles não fizeram algum recall ou corrigiram o problema, em respeito a quem comprou. Depois eu me ofereci para converter o Roc’N’Rope direito, mas mesmo assim eles não aceitaram. Mas não estão sumindo. Estão lançando livros e camisetas, não é mesmo? Eu vi agora há pouco no site deles várias camisetas com logotipos tipo atari, msx, se não me engano, ou frases que remetem aos anos 80. E alguns livros com esses assuntos também, como um com imagens da konami e outro que parece ter imagens do super mario. Mas não sei informar, melhor você entrar no site ou contatá-los diretamente, mas creio que ainda estão vendendo seus produtos. Aliás, gostaria de esclarecer que o Slotman não tem nada a ver com a história do Eusebiozinho (que é outro individuo bem mais exaltado), respeito muito o Slotman e suas conversões, apenas achei que poderia fazer melhor e de graça, o que não pode ser considerado uma ofensa, não é mesmo? Não consigo entender o motivo, se é que existe, dele ter alguma mágoa contra mim.

9. E a Sunrise, você chegou a falar com alguém na época ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Tentei, mas a Sunrise ultimamente se aproveita da Comic Bakery Syndrome.

10. Comic Bakery Syndrome ? Vamos lá…

[..MUFF-R-POSTA:]] Seguindo a linha já bastante detalhada acima sobre o comportamento das pessoas nas retrocomunidades, alguns usuários que tinham certa expressão na década de 80 e que, muito provavelmente por culpa de motivos alheios a eles próprios continuam envolvidos com as mesmas atividades a mais de 30 anos, são elevados a condição de DEUS. Como a maioria das sociedades modernas é monoteísta, cada pequeno grupo escolhe o seu próprio DEUS. (lembrando sempre que não há poderio nem força senão em DEUS altissimo.)

Estes, talvez por causa de um misto de incompetência comercial (não relacionada ao fato de estarem ha 30 anos fazendo as mesmas coisas) com um certo tempero de sadismo, promovem de maneira periódica novos produtos de HW e SW que, se tivessem sido lançados nos anos 80, seriam revolucionários. A partir deste ponto, a ação dos diferentes DEUSES segue caminhos levemente distintos, mas sempre com o mesmo resultado: usuários mandando dinheiro, usuários não recebendo nada nunca e usuários não só ainda felizes com seu DEUS, mas também o defendendo ferrenhamente contra qualquer um que tente levantar algum argumento não positivo quanto ao processo como um todo.

Aqui, existe um misto entre a fraqueza da religiosidade aplicada em um diferente nível (que nada mais é do que uma terceirização de parte dos seus problemas (ex: deixo nas mãos de DEUS)) com síndrome de Estocolmo (amo e defendo meu algoz) completado com mulher de brigadiano (ele vai mudar e/ou eu não perdi meu dinheiro, eu apenas escorreguei no banheiro)...

Um rapaz mais sensato do msx.org viu o fenômeno acontecendo também na Holanda e, com base na minha descrição sugeriu o nome Comic Bakery Syndrome.

11. Ainda sobre esta publicação de cartuchos, e os brasileiros, ninguém aqui nunca teve ou tem condições de publicar tuas conversões ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Não. Reinou o tradicional comportamento Brasileiro que foi um misto hipócrita de defender claramente o lado mais fraco do Eusébiozinho com a tradicional preguiça. O máximo que pude avaliar foram ofertas de cartuchos com DIP Switch. Para quem não conhece cortam um cartucho de plástico de quinta categoria com um facão, colam um negócio destes aí embaixo e colam uma etiquetinha PIMACO que compraram no supermercado escrita a mão: JOGO…

Depois saem dizendo a velha história que MSX é roots e que o que importa é a Beleza Interior… Claro que eu nunca poderia aceitar isto e fui procurar na França, que como todos sabem adora dizer que o Brasil não é um país sério. Eles conseguiram fazer algo decente.

1 Million Dolar Muffie

12. Você já está milionário com a arrecadação de doações das suas conversões ? Afinal foram umas 5 ou 6 não ? Vai, conte-nos a verdade…

[..MUFF-R-POSTA:]] Claro. Desde a época da Amazon com o Bezos ficou claro que o slogan dos militares Brasileiros estava certíssimo: é preciso esperar o bolo crescer para cortar e dividir. Neste caso: capitalizar. Cobrar por um arquivo digital para uma retro-comunidade, para mim, é bem pior do que pensar o WhatsApp cobrando desde o início e/ou o facebook nascendo cheio de ADS, como o idiota do Saverin sugere. One, tem que ser muito, mas muito Short-Sighted para achar algum benefício em cobrar por arquivos digitais cujo consumo será exclusivo por uma “retro-comunidade”. Tem vários artigos sobre isto. Eu sugiro Marketing myopia de Theodore Levitt, professor da única universidade a qual se merece “atender”...

A estratégia monetária Muffiana tem 6 elementos/passos razoavelmente sequenciais dos quais nem todos ainda estão “in place”, mas o que já estão, posso adiantar que estão acontecendo exatamente como planejado…

13. E ainda tem aquele easter egg...no Multicart... como era mesmo ? Nossa isto deve valer algumas centenas de milhares de dólares.

[..MUFF-R-POSTA:]] O que é um easter egg? Estamos mais próximos do Thanks Giving não? (Muffie respondeu a entrevista em Junho de 2014) Mas como um agrado extra aos compradores, escondi uma RENDIÇÃO PSG sensacional da música mood indigo em interpretação de Charles Mingus no menu do cartucho. Para acessar a mesma, basta digitar o nome do meu desafeto durante a animação do menu.

14. E ainda fiquei sabendo que o Multicart é dourado e tem o nome do sujeito que comprou. Muffie, conte toda a verdade sobre os valores.

[..MUFF-R-POSTA:]] Eu paguei, do meu bolso ~R$ 10 por cada um dos cartuchos vendidos. Foi o melhor investimento em marketing que já fiz até hoje.

Em tempo, os cartuchos não são dourados. São “espelhados” e refletem tudo o que está a sua volta. Quando o Francês tirou as fotos, era minha glória lá espelhada.

15. Há guerra ou você ama o Slotman ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Quem? Amo a todos incondicionalmente, inclusive meu algoz, o qual devo conhecer em Nov, 8 de 2052 . Tipo, imagine que não exista céu ou inferno, imagine todas as pessoas vivendo para o dia de hoje, que não existam países e também sem religião. Já pensou que maravilha um ambiente em que não se premie esforços e não se puna corpo mole?

16. Na época da conversão estes jogos, ou seja, há milênios atrás, já existiam conversões de Jungle Hunt e de Montezuma´s Revenge feitas pelo Slotman da comunidade MSX Brasileira. Qual a razão que o levou a convertê-los novamente ? Não gostou das conversões já existentes do seu muito e grande amigo Slotman ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Um amigo massoterapeuta (ou de uma família de massagistas, não lembro direito) que coleciona várias relíquias com valor inéstimavel (não é hoarding, ele tem até erofita) resolveu montar um MSX com peças de sucata. E ele resolveu colocar RAM em lugares exóticos, espalhados por aqueles 4x4 lá. Por não se tratar de um padrão (muito provavelmente, pois o convertedor anterior, parece que é um mestre na arte de sodo-programação) as roms não funcionavam e o massoterapeuta não conseguia se divertir com os joguinhos. Ah não! Lembrei, como o massoterapeuta é pão duro, ele não comprou os arquivos digitais pqe não precisavam de solda e então não podia jogar.

Eu gostaria de salientar que todas as conversões foram feitas a base de provigil. Muito provigil. Numa base diária eu consumi tanto Provigil que daria para sedar Manhattan, Long Island, e Queens. Por um mês! Você viu o meu cachorro por aí? O nome dele é Barnabás.

17. Em fóruns e listas de discussões podemos ver diversas “diferenças de opinião” entre os grandes amigos, você e o Slotman. Você fez algo que o machucou ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Porra, caralho, que merda de resposta se espera para uma pergunta destas. Sei lá quem é este cara. QQ um se sente machucado por não ter nascido eu. Lembrem de tomar provigil, senão não vão entender toda a entrevista...

18. O que há de melhor nas suas conversões de Jungle Hunt e Montezuma´s Revenge em relação as versões do Slotman ? Porquê alguém jogaria as suas conversões em detrimento às convertidas pelo Slotman ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Cara, já que você insiste, ok, tudo bem. Parece a Glória Maria com o Freddy. Mas, sério que tem alguém que escolheu este nick? Nos slots se enfiam coisas! Eu fico imaginando quem será o Cartman…

Mas, a questão principal não é quem jogaria O MEU em vez do do Slot-man e sim quem jogaria estas merdas em primeiro lugar… Quem? Qual é o perfil? O que essa pessoa gosta de fazer com seu tempo livre? Quais os hábitos sexuais e alimentares desta pessoa? Novinhas funkeiras? BDSM? hardcore gay? Gosta do toque erótico durante a massoterapia? Qual sua reação ao ver intros de Amiga? Faz parte da Cena? Chorou quando o Ayrton Senna morreu? Wilker o José Wilker morreu? É de Carmen Maki Blues Creation? Sem essas respostas, fica difícil entender onde você quer chegar. Se é que quer chegar em algum lugar. Você não tem futuro. As portas da sociedade se fecharão para você.

19. Como agora estamos todos sabendo que não há nada pessoal contra o Slotman e que vocês são grandes amigos, comente este vídeo promocional da conversão do jogo Mikie, principalmente o início do vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=ciZM_OORDRg

[..MUFF-R-POSTA:]] O que esse video tem a ver com o Slotman? Você certamente tem alguma fixação sexual no rapaz e está projetando suas fantasias nessas perguntas. Nada contra os homossexuais, claro. Sugiro que use a máquina de criar clones do David Bowie e gere cem cópias do Slotman e faça um enorme gangbang com os cem clones dele, você certamente vai se sentir tão bem quanto a Annabel Chong se sentiu nos anos 90. Chama o Ron Jeremy pra ser o host e avisa o Christopher Nolan que eu já tinha criado aquela merda em 1994 e publicado em 2007, como se pode verificar aqui:

(http://www.baudejogos.net/colunas.php?id=25)

20. Ok. Finalmente, 6 anos após, em 2014, foi lançado em edição exclusiva, pelo Eric Boez um Multicart, com todas as tuas conversões, em uma edição de colecionador. O cartucho é dourado e foi muito bem comentado no msx.org. Vendeu muitas unidades, mais de 60. Isto é correto ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Você não sabe de nada, Jon Snow. O cartucho não é dourado, como vou confiar agora nas outras informações que você listou na sua pergunta dissertação? Pqe vc pergunta coisas que acha que sabe a resposta, pqe, você sabe, existem 4 coisas básicas:

1. Coisas que você sabe e sabe que sabe

2. Coisas que você sabe e não sabe que sabe

3. Coisas que você não sabe e sabe que não sabe

4. Coisas que você não sabe e não sabe que não sabe

Qual das (fique de) 4 você quer que eu foque?

21. Mas tuas conversões não foram publicadas nem pela Matra nem pela Sunrise ! O que será que ocorreu ? Pode nos ajudar a entender esta contradição ? Po, até que vendeu bem. Talvez seja por causa da tela de título do Tutankham, ou do easter egg, ah, e não ter bugs. Melhorou o som também ? Nos ajude a entender.

[..MUFF-R-POSTA:]] Fiz um concurso para decidir quem iria publicar minhas conversões. Os pretendentes deveriam enviar para mim fotos de seus pênis em estado de ereção. Eric Boez foi o único que não mandou foto, por isso ele ganhou.

22. Poderia nos contar melhor o que veio neste pacote, como foi a produção, quem participou, como ficou a versão final, enfim, conte-nos sobre como foi este processo, quem foram as pessoas ficaram milionárias junto com você.

[..MUFF-R-POSTA:]] Poderia, com o devido incentivo. Mas agora minha filha quer o carro emprestado e eu preciso devolver umas fitas na locadora.

23. O que te motiva a fazer as conversões dos jogos ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Minha ENORME/BWC vontade de aprender, minha sem igual humildade, meu desejo de beneficiar a comunidade da retrocomputação, minha nostalgia infinita pelos tempos que não voltam mais e, mais do que tudo, a doação para o fundo de caridade de todo o valor arrecadado na venda dos cartuchos, o qual eu dobro com dinheiro do meu próprio bolso...

24. Há um bom jogo da Konami, chamado Roc ´N Rope e você até comentou algo sobre Roc N Rope na entrevista. Este jogo foi convertido pelo Slotman, mas você até hoje não converteu. Vocês fizeram as pazes neste período ? Ficamos sabendo que a conversão feita pelo Slotman teve que ser feito um “recall”. Você ainda fará esta conversão ?

[..MUFF-R-POSTA:]] O melhor amigo de um rapaz é a sua (dele) mãe.

25. Haverão outras ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Haverá outras. Não haverão.

26. Novos projetos em vista ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Sim, criar um bot automático (com scroll fino em MSX1) que mande o entrevistador tomar no cú toda vez que ele ficar se repetindo. https://www.youtube.com/watch?v=hdHbJErF_V8

27. O que acha da “cena” MSX no Brasil atualmente ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Acho que ela varia muito de estado para estado, você não concorda? A cena em Manaus, por exemplo, é muito forte. Principalmente na Zona Franca. Já no eixo rio-são paulo diria que já não está mais no apogeu, e em Brasília, por algum motivo, o MSX nunca foi muito forte. Agora no sul, e nos países vizinhos, como a Argentina, ainda temos belos encontros de saudosistas, como o semestral MSXLGBT Pelotas, que contou na ultima edição com a participação, entre outros, de B. Piropo e do Tarso Genro, que eu nem sabia que era um grande da máquina. Isso me lembra uma anedota inusitada, do início dos anos 90, quando um dos filhos do Emerson Fittipaldi se interessou pela linha MSX e começou a colecionar e o próprio Emerson, super simpático e sempre gentil, veio visitar o encontro e saiu comprando adoidado tudo que via pela frente, inclusive um disquete com o jogo Xeroso. Mas ele logo perdeu o interesse. Por que será? Outro grande do MSX, no Japão, é o escritor Haruki Murakami, que ao mesmo modo do George Martin, que se mantém fiel ao Wordstar, escreve seus romances no MSX-Write da ASCII corp. até hoje e os imprime numa elgin lady 90 (Como ele diz no meio desta leitura: https://www.youtube.com/watch?v=6o0vNXF8iVU). Em Florianopolis, também, o MSX é forte, mas só o 2 pra cima, não tem quase MSX 1 lá, já repararam? No Maranhão ele ainda é usado, principalmente em instituições de ensino e órgãos públicos (exceto polícia federal, que prefere o CP-500). Aliás, esses dias entrei em uma loja para comprar um capacete de moto, uma loja chamada STOP MOTOS, e no balcão estava um MSX, um Expert, em pleno funcionamento, fazendo o controle da loja. O mais estranho é que o MSX estava ligado a um monitor ambar, aqueles pesados com as letras douradas, sabe como é? E este monitor ficava dentro de um balcão de vidro, mas deitado, de modo que a tela ficava apontada para o teto da loja, e o balconista, de pé, pudesse enxergá-la diretamente ao digitar. Tive uma sensação estranha neste momento, algo que não saberia definir. Achei que o monitor, tanto tempo virado para cima de maneira tão pouco natural, fosse estragar, no entanto ele já deveria estar ali há anos, pelo menos 25 anos, e continuava funcionando. A única coisa que ficava sobre o balcão era o teclado. Nisso, as palavras “Por que MSX?” vieram a minha mente, como se ditas por outra pessoa, num tom de miado de gato. Repeti-as ao balconista. Ele me olhou de um jeito estranho e eu disse de novo, Por que MSX? Sem miar, contudo, falei normalmente nas duas vezes. Notei que ele não sabia do que se tratava e expliquei que aquele computador que ele estava usando era um MSX. Percebi também, enquanto ele digitava, que ele não tinha a mão esquerda, era manco, mas mesmo assim digitava com grande velocidade, como se já estivesse acostumado, e também com habilidade pegava as mercadorias e fazia o seu trabalho. Tive vontade de perguntar como ele digitava tão rápido, mais rápido do que qualquer um faria com as duas mãos, mas não fiz isso, não eramos íntimos o suficiente, acho que é preciso uma certa intimidade para se fazer uma pergunta dessas, e ele me contou que era só um computador, o dono da loja é que sabia a respeito disso, que tinha sido ele que tinha comprado o computador e começado a utilizá-lo ali e até mesmo tinha feito o programa usado no controle de estoque e na emissão das notas fiscais. Me pareceu feito em BASIC. Já ia saindo da loja quando percebi que isso não ia deixar meus pensamentos e voltei. Perguntei sobre o dono da loja, onde poderia o encontrar, queria perguntar para ele sobre o MSX e o funcionário chamou uma gordinha que estava sentada atrás de uma repartição no fundo da sala. Era a filha do dono e pareceu me achar bastante estranho quando lhe contei toda a história, mas por fim me disse que o dono, um tal de Júlio, tinha morrido no ano anterior. Só o MSX e o programa dele continuavam ali, ainda controlando a loja, do mesmo jeito que tinham feito nos ultimos 25 anos, mas isso encerrava a questão. Fui me sentar em um banco na praça Tamandaré, e observava os macacos, pensando no que tinha para fazer naquele dia. Mas voltei a pensar no MSX e na loja e o único meio de falar com o dono seria ou numa sessão espírita ou utilizando o jogo do copo que anda. Nunca acreditei em sessões espíritas, e como temia ser vítima de charlatanismo, voltei para casa, decidido a usar o tabuleiro do jogo do copo que anda que tinha vindo de graça na primeira edição da série Ciências Proibidas, uma enciclopédia do sobrenatural vendida nos anos 80, que eu ainda tinha. Primeiro fiz a janta, cortei uma cebola em tiras bem fininhas, fritei até ficar levemente crocante e fiz um sanduíche de atum. O segredo é saber até quando fritar. Bebi uma garrafa de vinho chileno e fui tomar banho e me barbear, ouvindo uma fita dos Pet Shop Boys. Eram dez e meia quando ia preparar o tabuleiro para contatar o dono da Stop Motos, quando o telefone começou a tocar. Pensei em deixar a secretária eletrônica atender, mas notei que não a tinha ligado. A mensagem de minha secretária eletrônica é bastante engenhosa, aliás, se me permitem dizer. Consiste nos primeiros oito segundos da música Emergency on Planet Earth do Jamiroquai, seguida da frase “Você ligou para… Muffie!” dita em tons sussurrantes por uma de minhas funcionárias. “Imortal & iressistível para todas as mulheres. No momento Muffie está ocupado entretendo a sua mãe, a melhor amiga que um rapaz pode ter. Deixe seu recado após o BIP.” E então soa o BEEP do MSX. Mas deixei o telefone tocar umas cinco vezes e atendi. Era o Marcus Vinicius Garret Chiado me oferecendo algo. Neguei e desliguei e voltei ao tabuleiro. Coloquei uma música da minha fita de Kabuki, Seoto, performada no Koto por Nanae Yoshimura, peguei um copinho de pinga, daqueles feitos para se servir o tradicional drinque conhecido como martelinho, passei um pouco de talco na tábua para o copo deslizar melhor e desliguei as luzes. Coloquei o indicador sobre o copo, tendo-o deixado virado com o bocal para baixo por sobre o tabuleiro, e iniciei a invocação. Insisti por uns quinze minutos, mas nada aconteceu, então acendi a luz e resolvi ler o primeiro volume de Ciencias Probidas para saber exatamente como proceder. Voltei a desligar as luzes, isso a umas onze e meia da noite, e reiniciei o ritual. Por um instante me senti vigiado, como se alguém me observasse por detrás, atraves das janelas do meu apartamento no edifício Acapulco. Não me voltei, mas sabia que as janelas estavam fechadas, e também tive a impressão, se é que não aconteceu realmente, de que a temperatura tinha caído pelos menos uns três graus. Estava muito concentrado, tentando enxergar algum movimento do copo, o que era muito difícil na penumbra, e pude perceber uma vibração sob a ponta do dedo. E muito baixo, um ruído, como se o copo estivesse sacudindo e batendo levemente na madeira. Mas ele não saiu do lugar. Quando dei por mim, já eram três horas da manhã e estava começando a ter sono, então fui dormir. Acordei na manhã seguinte às nove horas, tomei banho, fiz a barba, cozinhei bacon e três ovos e bebi uma diet dr. pepper, a bebida favorita de minha amiga Seanan, e saí para andar um pouco. As onze e meia, passei na frente da Stop Motors e decidi entrar de novo. O balconista maneta não estava mais lá, mas em seu lugar havia um homem vestido com pele de carneiro. Mas sobre o que era a sua pergunta mesmo?

28. O que você pensa a respeito da comunidade brasileira de MSX ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Da comunidade? Comunidade é um eufemismo que os membros da elite Paulistana usam para denominar as moradias populares vulgarmente conhecidas como Favelas. É um absurdo você se referir desta maneira.

29. E da comunidade internacional ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Acompanho muito a comunidade internacional, principalmente no Rio Grande do Sul, nosso vizinho. Eu considero a cidade de Rio Grande (extremo sul) o mais avançado ponto do mundo em MSX e um dos melhores do Rio Grande do Sul.

30. Você não acha que a comunidade brasileira MSX está se fragmentando cada vez mais ao produzir hardwares que muito pouco serão utilizados ?

[..MUFF-R-POSTA:]] Não, sempre tem espaço para qualquer tipo de aberração. E é natural que os autores achem lindo e maravilhoso. Já viu mãe achar o filho feio? O que me irrita é quando tentam convencer os outros de que aquilo é algo além do que é. Se acham que tem potencial que parem de choramingar/resmungar/reclamar e usem o Kickstarter: https://www.kickstarter.com

O que vão dizer se não der certo? Que “internautas” não conseguem ver além? Funcionou até pra pagar a multa do Genoino...

leia mais Fé Raciocinada (a ciencia do espiritismo)

Últimos jogos vistos

tu se acha o ardcór das parada?

se estiveres te sentindo um merda

Clique aqui