Pesquisa
avançada
12112 joguetes

Multimídia no meu apê

Omaha, The Cat Dancer

Reed Waller apresenta aqui uma literatura educativa, como podemos ver na foto acima que demonstra como fazer um exame ginecológico. Dizem por aí na Wikipedia que este é um dos primeiros quadrinhos a colocar sexo como parte do argumento. Que nem os "pornô com história" que a galera locava no Ludio, mas esses eram mais engraçados, pelo menos.

Bom, um quadrinho de "protesto" inspirado no xarope do Crumb podia ser tudo, menos engraçado. De qualquer jeito, esta obra veio de graça para mim (na verdade, eu troquei na Livraria Saraiva pelo meu presente de aniversário que foi O Vampiro Que Ri, outro quadrinho ADULTO dos bons).

  • apologia ao veneno verde com direito a desenhos bisonhos apologia ao veneno verde com direito a desenhos bisonhos
  • legalize já o CARALHO legalize já o CARALHO

É bem isso o que poderia se esperar de um gordinho maconheiro punheteiro daqueles que frequentam comunidades de ORKUT, estilo Rio Grande, a Cidade. Eles vivem no mundo tremens onde as mulheres estão sempre gostosas e disponíveis, tem maconha da boa sobrando em todos os lugares e quem fuma o tempo todo não se transforma numa porca prenha lesada das idéias.

O nome dela é Susan Jensen. Ih! Spoilei :-D O nome dela é Susan Jensen. Ih! Spoilei :-D

Omaha é o nome artístico da gata dançarina e stripper que é a protagonista dessa merda toda. Personagem feminino sempre foi coisa de roteirista merendinha e este quadrinho não é exceção. As historias se resumem a ela fazendo um striptease onde todos ficam embasbacados pela sua beleza, performance e au au au e ela dando a bussa para o primeiro que aparecer na frente, não necessariamente nesta ordem. As completamente-sem-graça frases de "afeto" demonstradas durante as fodas revelam o cabacismo do Reed Waller. Punheteiro tentando fazer dramalhão erótico é, no mínimo ridículo. Nem o Howard Chaykin fez tão feio no Black Kiss.

o autor revela uma das suas inúmeras fantasias sexuais de punheteiro velho o autor revela uma das suas inúmeras fantasias sexuais de punheteiro velho

Aqui rola uma das primeiras aparições de Chuck, o Gato Fritz bonzinho e amável. Parece que esse personagem foi influência da Kate Worley, uma baranga que compunha músicas hippies junto com o Reed Waller. Daí eles resolveram transformar as histórias de foda livre e gratuita para um romance com ação, ficção e erotismo!!!

Mas tudo o que conseguiram fazer foi se projetar dentro do quadrinho que nem o Rogilio e a Livia, enchendo linguiça com uma trama policial e conspiratória, sem pé nem cabeça, ligando os personagens de uma forma incrivelmente besta e mais confusa do que no Twin Peaks.

Lógico que continuou sem graça. Na real, conseguiram piorar muito a treva.

Ah! O nome verdadeiro do Chuck é Charles Tabey Jr. Mais um spoiler imbecil pra ti, filho-da-puta!

isso explica toda a obra. FIIIIIM isso explica toda a obra. FIIIIIM

leia mais Multimídia no meu apê

Últimos jogos vistos

tu se acha o ardcór das parada?

se estiveres te sentindo um merda

Clique aqui