Pesquisa
avançada
12649 joguetes

tu se acha o ardcór das parada?

Anime MSX sprites protagonistas
  • Master System
  • 1987
  • Cartucho
  • 1
  • MEKA
  • arquivo AnmitsuHime.zip temporariamente indisponível
  • Conheça a família logo no título

  • Pai canalha entrega mapa falso

  • Vários itens a explorar pelo jogo

  • Perguntas reais sobre matemática, português...

  • Se descer essa escada, GG!

  • Eu avisei, agora faça tudo denovo

  • Porteiro assusta crianças

  • Shiro no chizu (Engrish: Map from castle)

Videogame baseado em anime homônimo. Des-Confiando na minha habilidade de leitura em japonês, a história nos conta que Anmitsu fica sabendo de um restaurante novo através de seu primo. E, por algum motivo, sua majestade tem de estar presente na inauguração. Só que ela tem alguns problemas a resolver. Primeiro, a ignorância! Ela não sabe como chegar lá e o mapa da cidade foi divido em 8 partes e escondido pelo castelo de sua família. Segundo, o porteiro não a deixará sair do castelo por nada. Terceiro, a cidade fica depois de uma floresta habitada por ninjas. Quarto, e mais importante, o restaurante tem horário para fechar, deves chegar antes que isso ocorra.


Como trata-se do original de Alex Kidd in High Tech World, conheço-o até o fim. O jogo é dividido em 4 partes, duas de aventura e duas de ação. A parte de aventura é até legalzinha, tens que procurar pelos mapas resolvendo quebra-cabeças, quizz'es e caçar dicas para resolver mistérios e dobrar os familiares a te darem itens ou mesmo os mapas. O problema é que ele sofre do mal dos jogos da Sierra. Se tocares em certos itens ou fizeres certas coisas, receberá um Game Over no ato e voltará ao início. Sem contar que podes usar indevidamente alguns itens. E pra completar, tem alguns eventos que gastam MUITO tempo, como pedir pro tio trazer sei lá o que da cidade e ele só aparece depois de 5 horas, quase metade do tempo total.


Já as partes de ação são um saco. A jogabilidade é tosca, não se pode nem abaixar para esquivar as shurikens inimigas. Os inimigos são sempre os mesmos e as fases são longas. E se encostarem uma molécula em ti, morre direto e volta para o início da fase. E, pra piorar, tem que coletar moedas para usar na cidade, o que da um trabalho danado, dada a dificuldade e os controles toscos. E o mais delícia de tudo é que, quando estiveres na cidade, descobrirá que para terminar o jogo não precisa de um tostão (se gastar demais, ajuda a não poder terminar). SACANAGEM oriental em sua forma pura. Alias, falando de sacanagem, a única maneira de conseguir um passe (que o leva para a última fase) na cidade é rezando mais de 100 VEZES seguidas no poço no meio do bambuzal!! Já imaginou?! Sim? Sorte a sua, pois eu não tive essa chance, experimentei na pele: entra no bambuzal, música do bambuzal começa a tocar do início, anda até o poço, espera janela com texto abrir, espera texto escrever, sai do bambuzal, música para de tocar, entra de novo, música do bambuzal começa a tocar do início denovo... 100 VEZES!


Os gráficos são bons, com vários detalhes, mas as músicas são uma porcaria, irritantes, ainda mais depois que ouvir só o início de uma delas se repetir pelo menos 100 vezes seguidas.