Pesquisa
avançada
12461 joguetes

tu se acha o ardcór das parada?

Insert Coin Músicas Enjoadas de MSX

Call of Cthulhu: Dark Corners of the Earth

  • I can hardly describe the mood in which I was left

  • Later I might sift the tale and extract some nucle

  • Another thing that disturbed me was the absence of

  • o horror

Esse jogo ficou seis anos sendo produzido por companhias vagabundas que iam à falência uma POR DETRÁS da outra, até finalmente ser portado e lançado pro XBOX e depois ser portado de volta pro PC pra ver se rendia algum dinheiro. DEVE SER por isso que ocupa só dois CDs e não exige máquina rápida demais.

É um arcade adventure, só que a parte arcade é um first person shooter que usa o engine do MORROWIND, mas mil vezes mais rápido, então os gráficos são decentes e é cheio de efeitos especiais de luz.


Este jogo é muito CORAJOSO & ORIGINAL, com várias inovações e decisões bizarras por parte dos programadores. Claro que isso irá desagradar TODO MUNDO, mas eu gostei muito e é o melhor que joguei esse ano.


Primeiro, o jogo é honesto e se revela desde o início como um arcade adventure clássico dos anos 90, incluindo a jogabilidade fodanchada de propósito como parte integrante da EXPERIÊNCIA. Vejam bem:


* não tem interface nenhuma, o jogo ocupa a tela toda, sem pointer de mouse e nada; essa decisão te impede de saber coisas como energia e número de balas, o que funcina muito bem para TRADUZIR FIELMENTE a sensação de estar diante dos HORRORES, os HORRORES!, porque não tem o que fazer, é melhor se matar logo antes de perder a sanidade e acho que é o que vou fazer depois de terminar este review. E também é o que o personagem principal faz logo no início, que a história é contada através do diário dele.


* tu só pega arma quase na metade do jogo, até lá só pode fugir e se esconder dos inimigos; as armas não recarregam automaticamente, tem que fazer isso na mão e elas demoram bastante pra carregar, além de terem poucas balas, que são armas de 1920;

* não tem MIRA na tela e é tri difícil de acertar os inimigos, tem que usar a mira de metal na arma mesmo, de forma mais realista, sendo que ao esticar a arma pra mirar, cansa o braço do magrão e fica mais difícil ainda.


* tem umas sequências arcade-adventure puras que lembram os jogos dos anos 80; a primeira cena de ação mesmo, quando os magrões de Innsmouth querem te pegar no hotel, é incrivelmente difícil (acho que é a mais difícil do jogo), exige altas adivinhações do que fazer em poucos segundos e qualquer erro é tudo de novo, mas mesmo assim TRADUZ FIELMENTE a cena descrita pelo Lovecraft na história "Shadow over Innsmouth", em que toda a população de CAIPIRAS MUTANTES DEFORMADOS QUE SÃO DESCENDENTES DE DEUSES MARINHOS QUE NA VERDADE SÃO ALIENÍGENAS querem pegar o magrão que tá fechado num quarto de hotel e vão tentando derrubar as portas enquanto ele vai correndo de um quarto pro outro trancando ferrolhos e pulando pelas janelas. Bom demais, mas como todo o resto do jogo, só fãs do Lovecraft ou dos arcade adventures velhos vão gostar. (Claro que o público é limitado pra caralho, porque além de tudo o bitolado demais vai CHORAMINGAR com o fato de tantas referências gratuitas ao MITO e vai achar que trataram tudo com LEVIANDADE, afinal, MEU DEUS DO CÉU, AI, AI, AAAAAAAAAI, o cara tem um Unausprechlichen Kulten solto na mesa e só existem SEIS, S-E-I-S volumes no mundo todo, e meu DEUS DO CÉU ELE ESTÁ LUTANDO CONTRA O DAGON COM UMA ESPINGARDINHA, isso não pode, esse jogo é FALSO E MENTIROSO.)


* os saves são em checkpoints, que é pra tu não salvar toda hora e ficar sem medo de morrer.


* o magrão que tu controla se fode por qualquer coisa, se ele cai de uma altura razoável já se quebra todo e sai mancando, e se leva uns dois tiros, morre. Também pode morrer se levar um tiro e ficar sangrando por falta de curativos. O sistema de cura é através de vários itens no inventário, como talas e fios pra sutura e ataduras, que devem ser colocados na parte do corpo que está ferida. Cada parte ferida causa um efeito na jogabilidade, tipo mancar ou andar devagar, não poder pular, não poder atirar direito, não enxergar ou ouvir e ir perdendo a consciencia, tudo isso representado por alterações interessantes nos gráficos, sons e controles. Também podes te aplicar umas MORFINA, causando mais efeitos legais.


* Os efeitos 3D também são usados para fodanchar mais a jogabilidade: se tu tá em alturas, o som começa a diminuir e a visão fica nublada e começa a ir e vir num efeito muito bom de vertigem, que quanto mais alto tu tá, pior fica, e isso dificulta um monte andar por telhados e vigas como tem que fazer em algumas partes. Inclusive se tu fica olhando muito pra baixo pendurado em uma corda ou escada, é capaz até de o boneco cair e se matar.


* O personagem, também numa tradução fiel da ESCRITA TOSCA E DIVERTIDA PRA CARALHO do Lovecraft, sofre de ataques de VEADAGEM quando exposto a coisas assustadoras ou às criaturas do MITO, e as reações vão desde alterações de visão à paranóia quando ele fica em lugares muito escuros e apertados e começa a resmungar feito um veado que tá sendo seguido e que vai morrer, ou começa a carregar e descarregar sozinho a arma, ou ainda pode começar a perder a sanidade e ter alucinações audiovisuais. Se tu exagerar na exposição ao mito e FICAR ENCARANDO UM SHOGOTH ou ficar fechado numa sala onde o Chtulhu é idolatrado, pode rolar uma perda total de sanidade e se tu tiver com uma arma na mão ele vai se matar.


Quanto a história, é principalmente aproveitada de "Shadow over Innsmouth", um pouco de "The Shadow Out of Time" e menos ainda de "Call of the Cthulhu", mas aparem muitas outras criaturas, textos e representações do mito e é o jogo que mais tem coisa do mundo do Lovecraft, sendo uma DIVERSÃO nerd DE 13 ANOS EXTRA ficar reconhecendo os elementos. E se revoltando com o modo como são utilizados gratuitamente, se tu for um nerd PUNHETEIRO.

Tu é um magrão que vai procurar por um cara que desapareceu em Innsmouth em 1920 e o cenário é bom demais, com os veículos e armas da época, e a cidade é muito fiel a descrição do Lovecraft, desde os habitantes aos nomes das ruas, e vais explorar muitos outros cenários, como uma refinaria que tem até um Shogoth e um barco indo pro Devil's Reef, além do TEMPLO DA ORDEM ESOTÉRICA DE DAGON, mas não vou te spoilear.


As PRINCIPAIS CRITICAS dos punhetosos são:


* o uso aleatório e gratuito de coisas do mito só pra mostrar que é do Lovecraft (MÃS eu não vejo nada de mais nisso, tem mais é que sacanear mesmo, é só um videogame).


* a jogabilidade fodanchada (pra mim tem mais é que ser fodanchada mesmo, é de propósito e era assim que os arcade adventures funcionavam).


* não reproduz FIELMENTE DE VERDADE MESMO SÉRIO PRA CARALHO diálogos e cenário de 1920 (piça, é só videogame, seu felador! o que importa é que eu acho divertido.)


* não reproduz os textos cheios de ADJETIVOS CICLÓPICOS & ESCAMOSOS característicos do Lovecraft. Ok, ia ser divertido pra caralho se fizesse isso. Como TAMBÉM seria justo VOLTAR NO TEMPO e dizer pro Lovecraft que seus textos considerados vagabundos, que não renderam nada pra ele durante a vida e que ele achou que nunca receberiam atenção, acabaram dando milhões pra fazedores de filmes toscos, escritores caça-níqueis, Stephen Kings e editoras de RPG e GANHARAM EDIÇÃO DE CAPA DURA DA LIBRARY OF AMERICA, mas tudo bem.


Os sons são bons, os gráficos são decentes e os efeitos são bizarros e originais e este é o MELHOR JOGO RUIM que eu já vi, baseado no MELHOR ESCRITOR RUIM de todos os tempos. Toda a fodancha na jogabilidade funcionou perfeitamente e vou garantir a esta obra 3 (três) polegares estendidos. MÃS eu devo ser louco, porque ninguém mais gostou disso. BOM, testem aí e me avisem, mas não me falem sobre DESRESPEITO AO MITO. Porra, todos os filmes e todos os outros jogos que tem algo a ver DESRESPEITAM MUITO MAIS. Vão se fuder.


Roubei os screenshots da internet porque não tô com o jogo instalado neste computador. E ele nem é muito amigável com o alt+tab.