Pesquisa
avançada
12781 joguetes

Jogo recentemente visto:

Wacko

Maniac Mansion: Day of The Tentacle

Maniac Mansion 2

  • PC DOS
  • 1993
  • CD
  • 1
  • DOSbox
  • arquivo dott.zip temporariamente indisponível
  • Três em um

  • Mais tentaculos que Cthulhu

  • Tá, e dae?

  • Se liga nos chapeuzinhos

  • Politicos fazendo parkour

  • Intro

  • No, YOU build the fire!

  • Esse futuro é muito bizarro, e essa mina é maluca.

  • Como?

  • Time surfer

  • Ping pong laser

  • Esse gráfico cartoon é característico do scumm 6+

  • Coisa furiosa da mamãe

  • Sacaneou

  • Isso sim é uma casa luxuosa

  • Strke!

  • Parece minha boca

  • Esse cavalo é muito afude

  • Vai nessa, loucão

  • Gêmeos artistas

O oitavo SCUMM da série, o segundo que joguei, é a continuação do Maniac Mansion original de 1987, que foi o primeiro SCUMM (aí o nome: Script Creation Utility for Maniac Mansion), e que ainda não joguei. Contudo, este, que joguei logo depois de Indiana Jones and the Fate of Atlantis, já em versão de CD, apresentava mudanças muito importantes em relação ao jogo anterior: uma caixa de verbos diminuida, ícones e objetos maiores, gráficos muito superiores e mais cartum, o que acho que não era possivel anteriormente, já que a resolução muito baixa não permitia essa quantidade de detalhes. Aqui a resolução não é brilhante, e frequentemente o inventory é bastante pixelado, mas dá pra entender com tranquilidade o que são os itens.


O tipo de história também muda, já que a sátira agora prevalece mesmo em relação à aventura principal, que em outros jogos se mantinha romântica, aqui passa a ser absurda (impedir um tentáculo mutante de dominar o mundo), e o jogo inclui viagens no tempo sem maiores preocupações com paradoxos. A trama básica é que o já referido tentáculo, ao se tornar mutante, desenvolve bracinhos e um caráter vil, e passa a tentar dominar o mundo. Para impedi-lo, o geek clássico de gravata borboleta, o metaleiro gordão e a MINA BIZARRONA ajudam um cientista viciado em café, voltando no tempo, mas dá tudo errado e cada um vai pra uma época, o metaleiro pro passado, na época de antes da independência americana, o nerd fica no presente, e a mina fica no futuro que só é menos bizarro que ela. Agora eles tem que resolver a situação, ativando a maquina do tempo, se reunindo e indo atrás do tentáculo antes de ele mutar. Ou seja, é uma história de filme B, com piadas de categoria A+, em boa quantidade, que vão desde os diálogos até as situações.


Os puzzles são um pouco incoerentes e em grande quantidade, mas as vezes dá pra entender o que o jogo quer sem quebrar tanto a cabeça. Porém, como são muitos, mesmo quando ficas stuck dá pra ir trabalhar em outro puzzle pra diminuir a tensão. Nunca tem uma só coisa pra fazer, praticamente, já que podes controlar os três bonecos, cada um no seu momento do tempo, e utilizar a passagem do tempo pra fazer os puzzles.


Inclui menos minigames do que o outro jogo da mesma versão do script, o Sam & Max: Hit the Road, mas as piadas são melhores e o jogo é muito recompensador. É um pouco mais fácil, também, mas não chega à absurdos de facilidade como Full Throttle.


Acho que é um jogo bom até pra quem não gosta de adventures.


Três polegares estendidos, a versão com vozes vale muito mais a pena que alguma outra.


dizer que a sátira e o absurdo são novidades nos adventures da Lucas Arts não é verdadeiro. A maioria dos adventures deles era só sátira e absurdo, vide o primeiro Maniac Mansion. Os únicos jogos que fugiam disso foram os Indiana Jones e mais tarde o Full Throttle e o The Dig, mas o resto era tudo a mesma coisa: um monte de piadinha nos dálogos e lógica cartoon. Day of the Tentacle não é nada inovador, é mais um adventure da Lucas Arts que não surpreendeu quem já conhecia os anteriores deles. A única diferença é que tem gráficos e sons melhores, mas o resto é a mesma coisa, e até nos puzzles eles já mostravam estar acabando com a criatividade, copiando alguns do Monkey Island 2. A única coisa que me impediu de enojar do joguinho foi a novidade da viagem no tempo e de poder controlar os 3 bonecos em épocas diferentes e os resultados das ações de um influenciarem na época do outro.


E não, quem não gosta de adventure, não gosta desse jogo. Tenho vários amigos que não gostam de adventure e, na época, acharam este jogo uma merda.

Este jogo ainda inclui o Maniac Mansion 1, que pode ser jogado num computador da mansão, e na versão disquete a apresentação ainda tinha as vozes.