Pesquisa
avançada
12781 joguetes

tu se acha o ardcór das parada?

Cine Trash Músicas Enjoadas de MSX
  • entrada com musiquinha bela mesmo!

  • o jogador auzeando no início do jogo

  • o jogador vendo que vai se fuder

  • usando o bluff no guarda psicótico

  • tendo um flashback. essa tela é a mais legal!

  • enxergando o doutor no flashback

  • usando o ask about para perguntar sobre nomes e eventos

  • pronto. não precisa mais usar a opção TASTE pelo resto do jogo

  • usando o hassle

  • fugindo da cela

  • explorando o hospício no arcadezinho chatérrimo visto de cima

  • o guarda te pegou na maior. game ovo!

  • falando com um outro loucão

  • amaciei o louco e agora posso perguntar tudo!

  • um esqueletinho amigo

  • uma cela com um louco assassino contido numa camisa de força

  • o locker sacaneador

  • o flashback mais chato do jogo. sempre aparece quando o jogador examina qualquer merda que tenha sangue exposto

  • GET SCORPIO!!!

  • ahahaha que gozado!

  • o doctor proctor

  • o jornal dando um pouco de contexto conspiracional ao jogo

  • o que este jogo de dardos está fazendo ali?

  • arrancando sangue do doutor durante o interrogatório!

  • o labirinto - a parte mais punheta do jogo

  • vença o puzzle dos vinhos!

  • escalando a parede! a um passo da liberdade!!!

  • toma esse disquete feio no lugar de mais telas porque eu esqueci um objeto numa das telas iniciais e fui forçado a voltar todo o labirinto de novo :-(

Neste jogo, tu começas meio fudido dentro de uma cela de um sanatório sem saber direito por que foste parar lá. Ao interagir com o guarda, descobres que tem uma "cirurgia" marcada pra ti no outro dia. Isso significa que tens menos de um dia para fugir (com o relógio correndo o tempo todo) e de quebra descobrir o que aconteceu, recuperando a memória aos poucos, a cada vez que encontras algo familiar. Claro que durante isso o jogo vai testar a tua paciência de jó, pois é cheio de mortes sacaneadoras, principalmente porque fugir do sanatório é aparentemente em vão, até tu finalmente te ligares do que tens que fazer para parar de se fuder até não poder mais. Pelo menos os game overs são legais.


Muita coisa do jogo vai sendo revelada ao falar com os personagens. O problema é que o sistema de falas é meio bizarro. O jogo te dá quatro opções de conduzir as falas: HELP, HASSLE, PLEASANT e BLUFF. Os personagens revelam mais ou menos coisas de acordo com a tua abordagem. Por motivos óbvios, HASSLE raramente funciona de primeira e alguns personagens até te matam por causa disso. Dá para punhetear bastante iniciando um tópico de conversa de um modo e no final trocar para outro, para ver novas falas. Claro que muitas vezes a conversa acaba mais cedo do que tu esperas e daí tem que começar tudo de novo. Eu já até pensei em desenhar uma árvore de falas para cada personagem B)

Durante a conversa, os nomes e as menções mais importantes que são revelados vão para uma lista especial. Daí podes usar a opção ASK ABOUT para perguntar sobre essas coisas, o que em alguns casos destranca outras partes do jogo quase sempre com um flashback de brinde.

Outra bosta é que tem que clicar em todo o cenário para saber o que tem nele. Não dá para passar o mouse por tudo, que nem no Monkey Island, por exemplo. Alguns objetos ficaram esmerdalhados por causa da baixa resolução da digitalização e acaba rolando (pra caralho) pixel hunting em algumas telas. Pior do que isso só a inusitada opção TASTE que só funciona na primeira tela e só por piada.


Depois que consegues fugir do sanatório, o jogo toma um rumo bem diferente. Daí tens que viajar pelo mundo inteiro em busca de mais respostas. Podes escolher viajar de avião ou por terra. Essas opções existem porque tens que gerenciar o teu dinheiro limitado que consegues roubando durante a fuga e também tens 96 horas para resolver tudo (não lembro o que acontece quando acaba o tempo). Countdown, gente boa!


Esse é um dos joguinhos mais legais que eu joguei nos tempos do CTI. O desafio é bem interessante e até conseguimos vencer, mesmo nós sendo uns mongolinos que sabiam pouco de inglês. Jogos com gráficos digitalizados eram uma raridade na época e esse aproveitava bem o poderio do VGA. Esse jogo muito comeu cu quando reproduzido nos parcos computadores que possuiam um monitor colorido (acho que só na casa do Rogério e no departamento de Química que tinha VGA). Rodava decente num PC-XT mesmo sem uma placa de som (coisa que obviamente não existia na nossa realidade), mas tudo bem porque esse jogo, o VGA Copy e o Mach 3 artisticavam bastante tocando samplerzinhos no PC Speaker.

Porras, agora tive um flashback também! Me lembrei que antes dos videozinhos dos flashbacks, rolava a foto do cabeção do magrão seguida de um zoom bem na direção do olho dele (para representar a mind's eye, auiu). Esse zoom era a única parte que ficava animalescamente lenta no PC-XT :-(


Este jogo é sensacional. Para a época (1990) é de fuderes, de FUDERES! Acho que chega a ser até quase M A R A V I L H O S O. Senão vejamos: é um jogo de espião dos anos 80 e é um exemplar dos poucos jogos em que tu começa com amnésia e tem que desvendar a trama e o Santuário, o hospício do início, é como a vila do Prisioneiro e serve para fazer espiões desaparecerem. No fim tens que salvar o mundo do grupo terrorista. O Countdown, se não me engano, é pra uma bomba nuclear que eles tinham colocado em Paris. Os gráficos digitalizados são a pura arte mesmo, apesar de algumas trouxices, é bem melhor até que os jogos da Sierra. Entre os outros jogos de amnésia bons que lembro, tinha também o Flashback, Deja Vu e Nove Princípes em Amber, mas o Countdown é o melhor. Os flashbacks digitalizados com voz faziam qualquer um chorar e mostravam a superioridade do pai dos computadores.


cof! gasp! GET SCORPIO!


se algum dos amigos do bau de jogos lembrar de outro jogo de amnesia, por favor queira fumar o meu cigarro pra ver se sai fumaça.