Pesquisa
avançada
12782 joguetes

se estiveres te sentindo um merda

Clique aqui
  • Amiga
  • 1989
  • 2 Disquetes 3 1/2
  • Reflections
  • 1
  • ao ver esta imagem e ouvir a musiquina do beast, muitos cus de gordinho já começam a pedir piroca

  • siiiiiiiiim

  • aí está

  • esa é a tela que mais vai aparecer no jogo

  • depois de alternar bastante os discos...

  • siiiiiiiiim, agora vai começar

  • opa, vamos carregar mais um pouco

  • começou!

  • o poço

  • um bicho escroto

  • entrei na árvore, tem que carregar mais

  • inicio da arvore. os gráficos eram bons mesmo.

  • escadinha e cenários engenhosos

  • lagartauros

  • magrões com espadinha

  • magrões com machado

  • roubei esta tela das mãozonas do moby só pra ilustrar

  • caixa com criaturas bizarras

Ahá, eis aqui o clássico supremo do Amiga. Por causa do scrollzinho parallax afuzel super rápido e das telas com um montão de cores nunca vistas na época, este era o killer app (doooooooooooom!) que os donos de Amiga utilizavam para mostrar para os gordinhos e ganhar uns cus de graça. As animações também são decentes, as músicas são magníficas pra cacete e são feitas pelo nosso considerado David Whittaker, os bonecos e inimigos bizarros eram grandões e se mexiam rápido, o negócio chegava a parecer um jogo de fliperama em 1989 e a gordinhada que via ia à loucura. Meu amigo Marcos Eusébio mesmo, comprou seu MSX 2+ em 1990 com o Ademir Carchano e quando foi lá levar a máquina para arrumar - que por algum motivo, por uma daquelas RARAS ocasiões em se tratando de Carchano, tinha vindo com defeito o 2+ dele - e quando foi lá levar, viu um nerdyz num cantinho diante de uma telinha bonitinha rolando Shadow of the Beast num Amiga. Marcos Eusébio travou mais que a Maria do Rosário diante do Bolsonaro e ficou "Auuu, quequié issow, quequié issow, que máquina é essa, que maravilha, préciso ter uma, vamos lá amigo, não quer me cutucar em troca desta máquina?" Eusebiozinho largou ali o MSX 2+ e não quis nem mais saber da máquina amarela. Seguiram-se alguns demos e o cu de Eusebiozinho já estava piscando mais que a luzinha do XBOX quando ele donaldeando conteudo secreto e filmando a tua casa MESMO QUANDO ESTÁ DESLIGADO. Mas voltemos ao Beast...

Tu é um monstrão e tal que era um humano transformado pelos magos do mal pra ser escravizado e virar um guerreiro deles. Aí te revoltasse e tens que destruir o beast master pra recuperar a humanidade. Inicias munido de SOCO e VOADEIRA. O cenário é afu, com naves e balões e coisas futuristas com medieval, cheio de desenhos engenhosos e bizarros e com elementos heavy metal que lembram a era de ouro do software espanhol. Tem itens que dão tiro e jatinho nas costas pra uma fase estilo nave e tem monstros como mãos e pés gigantes e uns caras sem cabeça, tudo bem original. Até a caixa era afu, mostrando umas figuras voadoras bizarras meio futuristas que lembram o piolho gigante que serve de transporte no Morrowind.

Pois bem, caros amigos do Canal 3, o jogo tinha os gráficos e sons magníficos pra cacete, o cara ficava louco pra jogar, aí iniciava o bagulho e você, VOCÊ descobria que era uma merda. Era um jogo chato e praticamente injogável, devido a dificuldade excessiva, é o que dizem. Mas isso também não é verdade. Tem jogo muito mais difícil no ZX Spectrum e com jogabilidade muito mais travada e lenta e muita gente chama de pombinho e vence até hoje. E a dificuldade do Beast bastaria jogar umas três ou quatro vezes para se acostumar e decorar o cenário. Mesmo assim é impossível. O motivo real é o carregamento. O jogo carrega toda hora e toda hora tem que ficar alternando entre os dois discos, coloque um pouco cada disco, logo de início, pra começar, já tens que trocar quatro vezes de disco. Depois de minutos carregando a abertura, tu vai apertar o BUTÃO e esperar uma horinha pra trocar de disco QUATRO vezes, só pra chegar no título. Aí tu aperta o botão pra iniciar e carrega mais um pouco pra mostrar o textinho com scroll durante o carregamento da primeira fase. Como todos sabem, tem que andar um pouco na primeira fase e em seguida já entrar na árvore, e daí leva mais meia horinha carregando a fase da árvore. Quando tu morre, troca de disco umas dez vezes pra chegar na tela de game over e daí troca mais umas trinta vezes pra reiniciar o jogo e é tudo de novo. Então o problema mesmo do Beast é que ele não te deixa treinar e nem jogar muito tempo a ponto de tu ficar bom. Se for jogar umas três vezes, vais levar umas quatro horas, sendo que três vão ser só pra carregar o jogo. Nesse tempo vais ir fazer outra coisa (claro que na época de demonstrar pros gordinhos, durante o carregamento podias ficar comendo o cu deles) ou vais enjoar de esperar e desistir desse jogo. Se desse pra meter o jogo em um HD ou se carregasse rápido sem troca de discos, seria jogável. Continuaria difícil, mas daria pra vencer ou pelo menos avançar bastante sem ficar cansativo. Do jeito que é, entre cada game over e reinicio de jogo vão uns 10 ou 15 minutos em que tu esquece tudo e fica destreinado. O que fudeu mesmo o Beast foi o carregamento.