Pesquisa
avançada
12364 joguetes

Jogo recentemente visto:

Ultrabox 2

Phoenix Wright Ace Attorney - Trials and Tribulations

  • Nintendo DS
  • 2008
  • Cartucho
  • NTP-P-YG3E
  • 1
  • aqui está

  • a Maya fodanchando

  • a Mia mais nova nos casos retconzeadores

  • auuuuuuuuu

  • o chefe da Mia

  • interrogando o espírito da namorada safada do Phoenix Wright

  • o guri de apartamento

  • o promotor do primeiro jogo, agora com cabelo

  • o Phoenix Wright cthutlhiando

  • o promotor GODOT

  • jogou café no Phoenix

  • Gumshoe com um Psyche-Lock

  • o Diego Armando

  • a SISTER BIKINI

Essa é a versão americana do Gyakuten Saiban 3, a terceira parte dos joguinhos fodanchosos do Phoenix Wright. Na cara de pau usaram de novo o mesmo engine do Phoenix Wright Ace Attorney e todos os casos são uma fodelança para resolver. Gostaram um monte da putaria do Magatama da parte 2 e resolveram manter isso nesse jogo.


Esse jogo tenta fechar todos os arcos e os ganchos de açougue que os jogos anteriores deixaram. Claro que rola um amarelismo supremo no enredo, bem lógica de anime mesmo. A putaria é tanta que o jogo resolve escancarar uns detalhes tri importantes logo no início e o jogador acaba por não perceber pelo excesso de obviedade. (aprecie o esforço supremo que cometo para evitar os spoilers, pois esse jogo vale a pena toda a punheta batida para chegar até o final)


Personagens novos:

Godot (promotor novato que tá sempre de máscara e bebendo café o tempo todo. tu enfrentas ele em quase todos os casos)

Dahlia Hawthorne (namorada safada do Phoenix durante o colegial)

Diego Armando (mentor da Mia quando ela era rookie)

Ron DeLite (guri de apartamento que tem a identidade secreta do ladrão Masque de Masque. beleza heim?)

Luke Atmey (investigador com nariz de piroca e cara de pedófilo)


Aqui tem um sumário de todos os casos do jogo:


Caso 1 - Tens que defender o Masque de Masque acusado de assassinato contra o Godot. Só serve para apresentar o Godot ao jogo e não acrescenta em nada na história.


Caso 2 - O jogo volta no tempo seis anos e tu controlas a Mia que tem que defender o Phoenix, acusado de matar o Doug Swallow (que nome afu), que era roommate dele, mas era tudo uma armação sofisticada da namorada safada. O promotor é o mesmo promotor que aparece no primeiro caso do primeiro jogo, só que colocaram cabelo na sprite dele, na cara de pau. Sacanearam afu a ponto de reusar a sprite do juiz e só pintaram o cabelo de loiro. O Diego Armando fica dando dicas punhetosas o tempo todo para a Mia. Outra desculpa para não ter que se esforçar em desenhar um Phoenix Wright mais novo foi colocar um lenço na cara dele, pois ele estava gripado no dia do julgamento. Daí ele fica espirrando o tempo todo na hora de responder as perguntas.


Caso 3 - Alguém se fez passar pelo Phoenix Wright para sacanear um cliente dele (a Magey de novo) fazendo ela perder o caso de propósito. Ela é acusada de envenenar um programador chamado Glen Elg (só fica melhor o jogo) que tava desenvolvendo um vírus de bruço para um gangster fodanchão chamado Tigre. Esse caso também é meio fillerzão.


Caso 4 - O jogo volta no tempo de novo a um caso relacionado ao caso 2. A Mia e o Diego Armando têm que defender um prisioneiro condenado à morte por ter assassinado a irmã da namorada safada do Phoenix. Daí o Diego Armando se fode pra caralho depois. Jogue e veja a história bela.


Caso 5 - Auuu! É o final showdown! É o End Gayme! Esse caso é quase tão grande quanto todos os outros casos do jogo somados. Botaram o Phoenix Wright POR ACASO num resort montanhoso próximo à Kurain Village só para conectar afu com o jogo anterior. Daí morre um dos hóspedes do resort (que acaba sendo um personagem tri importante pra história bronha) e segue acontecendo um montão de merda por lá, forçando a CONFLUÊNCIA de quase todos os personagens do jogo no lugar, a ponto de fazer tu jogares com o Edgeworth porque o Phoenix cai num rio procurando pela Maya que desaparece na maior. Rola inclusive invocações espirituais de personagens do jogo anterior e da namorada safada do Phoenix, que foi executada no caso 2. Vou ter que spoilear um pouco e dizer que aparece até uma irmã gêmea da namorada safada do Phoenix para explicar algumas punhetas do jogo. Lógico que rola Magatama até não poder mais com todas as testemunhas possíveis, inclusive as entidades espirituais.


O final é sensacional pra caralho! Ganhou um polegar pela engenhosidade amarela. Só não vale worth porque tem que adivinhar demais na hora de resolver os casos.